Instagram

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Como é um Flohmarkt (Mercado de Pulgas)


Moro num Bairro chamado Martinsviertel. E neste fim de semana houve um Flohmarkt no meu bairro, mais especificamente no Burgerpark, um parque aqui perto de casa.
Flohmarkt ao pé da letra significa Mercado de Pulgas e é uma feira aberta de compra e venda de toda espécie de objetos usados: livros, cds, roupas, sapatos, artigos de cozinha, eletro-eletrônicos, bichinhos de pelúcia... e tudo mais que pode nao ser mais útil para você mas pode ser interessante para outras pessoas.

O Flohmarkt aqui do meu bairro é um esperado evento de verao em Darmstadt, está cada ano maior e vem gente de todo canto da cidade para vender e comprar.

Uma das coisas mais interessantes é ver o tipo de coisas que as pessoas vendem. De vinis raros ou objetos finos de decoracao a roupas íntimas super sexys ou flores de plástico empoeiradas.

No ano passado eu apenas visitei o Flohmarkt e fiz ótimas compras: meus patins, minha jaqueta de chuva e um boneco de fios para manipular.

Neste ano resolvi juntar as tralhas e roupas que nao usávamos mais e ver se ficava rica!
Bem, ficar rico nao dá mesmo, o barato do Flohmarkt é o preco camarada, na verdade quase de graca, exceto para objetos de grande valor sentimental ou financeiro. E existe um momento, no final da feira em que algumas pessoas comecam a gritar: "Aqui na minha mesa, tudo de presente!" E tem também as pessoas que colocam precos simbólicos, por exemplo 0,50 centavos uma caixa cheia de coisas, ou ainda aqueles que se vc perguntar o preco a pessoa diz: "Vc gostou? Leva, é seu!" E tem muita gente que no finalzao da feira larga tudo no lixo porque realmente nao querem levar as coisas de volta para casa!



Este Flohmarkt aqui do bairro acontece uma vez por ano, sempre no fim de julho, comeca sempre numa sexta-feira ás 16h e vai até as 14h do sábado. Muita gente dorme pelo lugar, para olhar suas coisas ou negociar na madrugada.

Existem também os Flohmarkt fixos que acontecem semanalmente em alguns pontos das cidades. Mas nestes Flohmarkt geralmente vao pessoas mais especilizadas, que vivem disso.

Vender no Flohmarkt é uma super experiência!

Mas é preciso ficar esperto: na quarta-feira, passando pelo parque onde a feira aconteceria, Simone, uma vizinha brasileira, viu que já haviam lugares marcados no chao! Me ligou e fomos lá também marcar nosso lugar! Afinal, quem chega por último pega os piores lugares. Marcamos dois lugares, para no caso de perdermos um, ainda termos outro de reserva. Escolhemos ótimos locais sob sombras de árvores o dia todo, com espaco suficiente para nossas 3 mesas (colocamos nossas coisas separadas para nao dar confusao) e também bastante espaco fora da passagem, para guardarmos coisas e podermos descansar.
Foi muito bom ter marcado lugar antes, porque na sexta-feira, ao meio dia, passei pelo local para dar uma olhadinha nas nossas marcacoes e já estava cheio de mesas para todo lado! O cartaz do evento dizia que os estandes só poderiam ser montados á partir das 16 horas, mas que nada, 13h já tinha gente vendendo!!!
Nós respeitamos a lei e só comecamos a montar nossas coisas ás 16 horas. (Para nao apoiar a desordem). Mas como notei que um dos nossos lugares havia sido ocupado, permaneci mais de 1 hora, aguardando meus companheiros de aventura: Simone, Íris e Torsten, (um casal de alemaes vizinhos de apartamento) e o Martin, sentada sobre nossa marca no chao, esperando que eles estivessem livres do trabalho e pudessem trazer as coisas.
Nesse meio tempo um homem da organizacao passou gritanto: "Início permitido apenas à partir das 16 horas, por favor senhores, aguardem o momento certo e guardem suas coisas!" Ninguém ouviu nada...
Ah, e tem que pagar! Como eu já disse no post sobre a Feira de Livros usados: Naaaaada aqui é de graca! Um dos homens da organizacao passa cobrando durante a feira e cola um adesivo na sua mesa.
E tem que ficar ligado: quanto maior sua mesa, mas caro é a taxa. Eu paguei 5 euros pelo espaco ocupado pela minha mesa, a Simone teve que pagar 10 euros (a mesa dela devia ter uns 3 metros). Mas este dinheiro é usado em benefício do bairro e para a limpeza do parque depois da feira.


Pois bem, estandes montados, chega a hora de vender!

E um dos meus primeiros clientes foi um turco, e como é sabido, os turcos sao ótimos negociadores e chegam cedo porque sabem que as melhores coisas saem primeiro.

E eu que me achava espertinha aprendi uma licao.

Foi assim:
Chegou um homem moreno, com jeito de que nao era alemao, olhou uma das jaquetas, uma jaqueta muito boa, um modelo meio antigo, mas daquelas que dura para sempre. Olhou, olhou, depois perguntou quanto era. Eu ainda estava montando o estande, parei e pensei um pouco, percebi que ainda nao tinha pensado direito nos precos... lembrei que no ano passado comprei minha jaqueta de chuva por 5 euros, quis ganhar mais e disse:
-10 euros.
-Está jaqueta está usada.
(O homem tinha o olhar firme e seguro)
-Sim, mas nova na loja custa dez vezes mais que isso.
-Te dou 4 euros - o homem disse calmamente.
-Nao. Essa é uma boa jaqueta! (Eu me lembrava que tínhamos pensado em vendê-la na internet e as pessoas em geral pagam mais ou menso isso...)
-Ela está toda manchada. (O homem faz cara de injusticado e me mostra manchas que eu ainda nao tinha visto na jaqueta...)
-Estas manchas sao de ficar guardada muito tempo, é só lavar que sai, garanto!
(Ele continuou examinando a jaqueta milímetro por milímetro eu me sentindo mal por nao ter examinado a jaqueta antes...)
Pensei um pouco e disse:
-Ok, faco por 8 euros.
(O homem continou examinando a jaqueta muito sério)
-Mas está faltando o capuz. ( E me mostra um ziper no colarinho que eu nao tinha visto...)
-Mas nao deixa de ser uma boa jaqueta, mesmo sem o capuz.
(Ele fez cara de desdém)
- Ok, faco por 7 euros. (Aí já entreguei o jogo!)
-Mas vc nao vai conseguir vender esta jaqueta por 7 euros com essas manchas e sem o capuz, te asseguro.
-Claro que vou!
-Nao vai nao! Ouca bem: Te dou 4 euros.
(E ele continuou olhando a jaqueta, agora com certo desprezo, e eu pensando nos 5 euros que paguei na outra no ano passado)
-Nao, 5 pelo menos.
E o homem continuou me olhando, com cara de estar com muita razao, a jaqueta na mao.
-4 euros e eu levo esta jaqueta agora. É sua melhor oportunidade, escute o que eu digo! Essa jaqueta nao vale mais que isso.
Eu disse que nao. Fiz cara de indignada. O homem fez cara de "Ok, o problema é seu", colocou a jaqueta no cabide e fez qua ia embora.
Neste momento, eu, negociadora-com-turco-de-primeira-viagem, louca para ganhar dinheiro, mas também para eliminar coisas velhas e inúteis de casa, e já um pouco zonza:
-5 euros já é um bom preco!
-Mas 4 euros é quanto esta jaqueta vale. Aqui é um Flohmarkt!
Titubiei, passei a mao no rosto e espertamente pensei: "Bom só vou perder um euro!"
-...ok... 4 euros.

Depois que o homem saiu, consegui respirar calmamente. Raciocinei melhor e me lembrei que o Martin achou, que a moca no ano passado me vendeu a jaqueta de chuva muito barato por 5 euros, ficou com dó dela e quis que eu pagasse mais! (Só nao paguei porque quis ser espertinha!)

Nao me contive:
-Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah! Vendi minha melhor jaqueta por 4 euros! (Gritei)

A Simone que só esteve observando veio falar comigo:
-Este homem era um turco. Eles sao espertos e sabem fazer negócios, percebeu que vc era inexperiente e nao sabia quanto vale a jaqueta. Essa sua jaqueta valia no mínimo os 10 euros. Vc devia ter pedido de início pelo menos uns 18, 20.

Aprender? Eu queria bater a cabeca na parede ou correr atrás do cara e pedir a jaqueta de volta!
Mas ok, aprendi a licao e nas próximas negociacoes já fiquei mais esperta ainda!



E esperta que fiquei, quando a coisa era valiosa eu jogava o preco lá em cima, (porque o mundo é dos capitalistas sem coracao, sinto muito! Daí a galera choramingava e eu reduzia para o preco justo ;-)

Entao você vai descobrindo que o barato do Flohmarkt é muito mais do que se livrar de velharias e comprar outras, o barato está em negociar com as pessoas, descobrir coisas interessantes perdidas ali no meio, conversar com os vizinhos de estande, ouvir histórias e, claro, ganhar dinheiro! A quantidade de pessoas é muito maior que no Flohmarkt de livros e a quantidade de coisas também!
E existe uma frase muito bonitinha e popular:


"Em cada Flohmarkt existe um tesouro"

Nao é meigo?


E eu descobri também que existem pessoas que procuram coisas específicas nos Flohmarkt, por exemplo os Colecionadores: Eles aparecem no Flohmarkt somente no fim da noite, quando o grosso do público já se foi, porque entao podem procurar melhor, olhar com mais calma. E as pessoas que vendem coisas boas para colecionadores, por exemplo cds, vinis, álbuns de figurinhas, canecas de cerveja, revistas antigas, sabem que esta é a melhor hora para suas mercadorias.
E os Colecionadores chegam com lanterninhas e passam de barraquinha em barraquinha examinando com o facho de luz tudo que tiver para ver se encontram o que lhes interessa.
Eu infelizmente nao tinha artigos para colecionadores, excetos dois radio-relógios bem velhinhos...



Quando deu um tempinho comprei uma coisinhas interessantes que achei nos meus vizinhos de estande: uma camisa xadrez azul, uma bluzinha bege básica, um pulover azul escuro com listras vermelhas e brancas, um "Gorro Russo" (daqueles de inverno pretos super peludoes que imitam os dos soldados russos!), e um filme que adoro e queria muito ter: "La comunidad", uma comédia espanhola de humor negro .

Este ano eu estava tao ocupada em participar que meu olho de paparazzi-brasileira (leia-se câmera :-) ficou desligada. Estas fotos que ilustram o post sao do ano passado. Mas eu posso descrever as coisas interessantes que presenciei: uma moca muito sorridente carregando alegremente uma daquelas botas 7/8 de vernis e salto plataforma e mostrando para as amigas, o homem que literalmente montou uma cama de armar e estava dormindo (de verdade) ao lado de sua mesa de coisas, a moca que comprou um All Star de couro e cano alto por 2 euros e veio toda contente na minha barraquinha me mostrar (e eu nem a conhecia!), a mulher que ao saber que eu era brasileira comecou a me contar que assistira na tv o documentário sobre o Alphaville em Sao Paulo e ficou triste com a desigualdade social no Brasil, uma camisa pequena da Selecao Brasileira sendo vendida com as coisas de um adolescente.

Vendemos muito bem! Nao conseguimos vender tudo que tínhamos levado, mas a maior parte sim e fizemos uma boa grana! E ainda dei de presente várias coisas das quais eu queria realmente me livrar e nao conseguimos vender.

Ficamos cansadoes também, claro! Carregar e descarregar o carro várias viagens, ficar horas no mesmo lugar aguardando os clientes, dormir pouco... comer mal, beber café passado, nao ter banheiro por perto....

Mas foi muito legal!
Quero de novo!



Como é alemao:
vender: verkaufen
comprar: kaufen
tesouro: Shatz
dinheiro: Geld
turco: Türke
esperto: schlau

8 comentários :

  1. Lu, eu tô amando seu blog!

    Seus posts são muito interessantes e lindinhos!

    Escreva sempre.

    HJhaiuheofhsdocaihrks!

    ResponderExcluir
  2. heuaheuaheuahe os Türke são piores que os cariocas, meu! Mas pelo menos eles fazem Donners!

    ResponderExcluir
  3. Sabe q eu em 3 anos aqui nunca fui em uma Flohmarkt? Affff... Mas me explica como funciona a burocracia, pois tô doida pra vender umas tranqueirinhas principalmente quando formos embora. (((-: Bjks e fica esperta com turcos, judeus, árabes e mineiros na hora de negociar, pois sao os "melhores" nessa arte! (((-:

    ResponderExcluir
  4. Hello to all!!
    From Brazil to the world
    Visit our site
    Thank

    www.brechomercadodaspulgas.com.br

    Ola a todos!!
    Do Brasil para o mundo
    Visitem o nosso site
    Obrigado

    ResponderExcluir
  5. Que bom que vc está gostando Thai! Obrigada! Fico muito feliz em tê-la aqui!

    Nem fale Brunao! Hummm e Dönners sao meus lanchinhos preferidos...aliás ainda preciso falar sobre eles aqui... Bj!

    Maíra! Que honra tê-la por aqui! Como assim vc ainda nao foi em um Flohmarkt?? É super divertido, vc tem que ir, ficar rica!!! Nao tem trâmites burocráticos nao, é só ir e pagar a taxa que pedirem na hora; mas tem trâmites transportráticos, encher e esvaziar o carro, carregar a tralha toda...
    :-D Pode deixar agora estou esperrrta com esses "negociadores" sou quase uma turca-mineira-carioca do Líbano! hehehe

    ResponderExcluir
  6. Oi Luciana!
    Vc não me conhece, mas recentemente conheci seu blog e estou gostando bastante! :) Seus posts são muito interessantes! Estou namorando um alemão que eu conheci no Canadá em maio, ai quem sabe não vou praí em breve, vamos ver... Aliás, ele é de aí pertinho, de Wiesbaden.
    Ah! Coincidência ou não, também estou trabalhando com a Thái num grupo de teatro aqui em São Carlos, acabei de ver o comentário dela também... heheh
    beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá Laura! Seja bem vinda! Fico feliz que esteja gostando do blog!
    Opa! Mais uma para o clube dos casais brasil-alemanha! ;-)
    Wiesbaden é mesmo aqui pertinho. Já dei uma passeada por lá, inclusive preciso pôr as fotos aqui. Ah, e Wiesbaden também é chique no úrtimo!
    Se vier pra cá podemos trocar muitas idéias pessoalmente!
    Bj!

    ResponderExcluir
  8. hahaha bem divertido o post! Voltarei mais vezes

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem vindo! :-D

A Ponte no youtube

Loading...